quinta-feira, 25 de outubro de 2012

As frustrações são setas em nosso caminho


Somos seres vivendo uma experiência ilusória de separação de Deus e é uma característica do nosso ego a busca por preenchimento fora de nós mesmos. Todos nós sonhamos e traçamos metas o tempo inteiro, é isso que move o ser humano neste nível de consciência e as únicas ferramentas que o universo tem para nos mostrar que estamos no caminho errado são a frustração e a desilusão.

Tudo nesta realidade, do ponto de vista do ego, dará errado (apesar de sonhar ao contrário), quando do ponto de vista da Fonte, tudo é apenas uma experiência de separação e retorno a Ela. Este “dar errado” nos faz refletir e buscar outra alternativa para preencher o vazio, a tomar consciência da insaciabilidade do ego e é exatamente nos momentos quando nos sentimos mais sem esperanças de realizar qualquer coisa que sonhemo,s que Deus nos mostra um caminho diferente, onde podemos aprender sobre Ele e sobre nós mesmos.

Temos esta tendência a nos julgar pois vivemos nos comparando a outros que já realizaram aquilo que queremos realizar ainda, esquecendo-nos de que aqui só existe o caminho, não há linha de chegada. Achamos que as pessoas que conquistaram grandes coisas na vida chegaram a algum lugar muito especial, mas elas continuam com o mesmo problema da insaciabilidade, ainda agravado porque tem tanto e ao mesmo tempo não se sentem plenos. O que às vezes julgamos autossabotagem pode ser que seja apenas a hora de parar e repensar “de onde vêm aquele desejo?” Será que eu preciso mesmo daquilo para alguma coisa? Não é apenas mais um tapa-buracos em minha vida?

Outro dia mesmo me perguntei de onde vinham os desejos e, em um momento de meditação, me ocorreu que os desejos surgem sempre da ilusão de que estamos separados da Criação, de um medo, de uma necessidade de proteção, de preenchimento ou de uma projeção ilusória de que a realização está em alguma coisa ou lugar fora de nós mesmos. Até as pessoas que buscam Deus ou a ascensão (acho que são a mesma coisa) estão manifestando um desejo, transformando-os em um objeto e perseguindo-os fora de si. Logo passarão pelo mesmo processo de frustração e desilusão. E assim acontecerá com todos até aceitarmos que já somos tudo o que podemos ser - e não estou falando de títulos, rótulos e cargos, mas do Ser com “S” maiúsculo – nós já somos, a perfeita manifestação tridimensional da Criação, capaz de refletir fora tudo que somos dentro. Tudo o que existe fora existe dentro e vice-versa.

Infelizmente não enxergamos isso, enxergamos só um pouquinho e geralmente é aquilo que achamos que nos falta. É fora de nós mesmos que estamos nos procurando, olhamos para o mundo e nele buscando o amor, a paz, a segurança ou qualquer outra coisa que ainda não fomos capazes de perceber dentro da gente.

Para começar o processo consciente (inconscientes já estamos faz tempo) de retorno ao Lar, precisamos apenas aprender a buscar dentro o que achamos que está fora e isto acontece quando conhecemos a nós mesmos. Este “eu” que achamos que somos é apenas uma imagem, uma criação egoísta que nos ilude e nos separa da totalidade que somos. Ser esta imagem é uma ilusão, uma zona de conforto que só nos afasta de nosso centro, nossa essência. Um apego ao mentalmente conhecido.

Nesta fase de nosso caminho (que é melhor que a anterior, acredite) de retorno a Fonte estamos tendo a oportunidade de vivenciar conscientemente um pouco mais de nossa sombra, descobrir algumas programações de nosso subconsciente, aspectos negativos de nossa personalidade, coisas que secretamente faziam parte da gente mas que insistíamos em não vê-las para continuar perseguindo aquilo que queríamos, aquilo que acreditávamos ser nossa salvação. E estamos tendo esta experiência em um momento quando mais existem recursos para nos ajudar, mais informações disponíveis e também mais ajuda de Seres da Luz. A vibração toda de nosso planeta está contribuindo para o processo de redescobrimento de quem nós realmente somos.

Todos que estamos aqui somos a pura expressão de Deus e concordamos com esta experiência de separação e retorno, assim contribuindo para a eterna expansão da Criação. Todos somos extremamente poderosos e capazes de realizar esta viagem. Acredito que com um foco diferente poderemos perceber onde nosso ego ainda nos está iludindo, o que está por trás de nossos desejos e quais emoções ainda precisam de cura. É mudar nossa mira para dentro, ao invés de continuar por aqui, sonhando em ir para frente e patinando na matrix.

Nossa mente deve estar programada para identificar a origem dos nossos desejos, só assim poderemos nos curar e nos libertar da necessidade de nos frustrarmos novamente.

Temos todos um grande trabalho de limpeza e desapego a fazer e, na medida em que o fazemos, tesouros escondidos vão sendo revelados. Nada é melhor do que a mente em silêncio transbordando paz e a sensação de plenitude, sem nenhuma necessidade de entender ou explicar nada. Encontraremos também neste caminho o verdadeiro amor, o amor que é um estado de espirito, sereno e livre!

Se isso puder lhes confortar, garanto a vocês que estando presente no aqui e agora, com 100% de confiança e 100% de entrega, tudo flui maravilhosamente bem em nossas vidas. Não a realização dos desejos, isso continua sendo uma armadilha do ego, mas a manifestação de nossa parte mais pura, nossa própria essência, diretamente de nosso coração.

Então, neste momento, quando nos dermos conta que já estamos vivendo em um fluxo de amor e plenitude infinita, desapegaremos disso também e entregaremos tudo a Deus, passando então a sermos o próprio fluxo e a vida!