domingo, 28 de dezembro de 2014

Acima de qualquer palavra

...Tudo aconteceu em silêncio quando ela se sentou ao meu lado. Quando olhei em seus olhos acabaram todas minhas imagens pré-concebidas sobre o momento. Eu me perdi lá dentro... meu ego silenciou. A cabeça aceleradíssima mas meu coração a superava em amor e entrega. Não fui capaz de emitir uma análise ou interpretação. Era só beleza se manifestando em um momento único... foi um reencontro sagrado e profundo, me realizei ali. Pra mim só aquilo já bastava, não poderia exigir algo daquele momento, mas continuou... fui sentindo um poder pacífico tomar conta do ambiente de nós dois, quanto mais seu feminino percebia a confiança e serenidade em mim mais ela relaxava e se entregava ao momento, sabia que era a primeira vez que ambos viviamos isso. Passamos vidas em estado de alerta tentando nos proteger, conquistar ou garantir algo. Uma entrega dessas expõe partes muito puras e sagradas do nosso ser não é algo que acontece todos os dias. Percebi nela uma doçura incrível que acredito que nem ela conheça ainda em toda sua expressão. Sua alma aconchegou-se em meu coração. Não sei em que nível ela sentiu tudo isso, eu comentei alguma coisa deste alinhamento mas nem eu tinha assimilado todos os detalhes. Estava emudecido. Não achava que fosse tudo isso, toda vez que sento do lado de alguém os Mestres acabam tratando essa pessoa, por isso julguei que fosse apenas alguma cura feita através de meu canal.

De minha parte, minha consciência foi subindo por um raio de energia até minha Divindade. Senti-me maduro, íntegro e perfeito. Sentia ela ao meu lado, aquela pureza e delicada perfeição me recebendo e se unindo a minha firme Presença. Daquele ponto todas as minhas carências e infantilidades me foram expostas. Tudo o que vivi em minhas histórias mundanas perderam totalmente a importância. Sem a interferência dos nossos egos minha Presença revelou seu feminino e a dela o meu masculino. Isso aconteceu muito acima do nível da personalidade, não existem palavras capazes de transmitir tudo com a mesma perfeição que foi vivenciado. Não sei quanto tempo se passou ali, acredito que tenha sido tudo muito rápido, mas é um momento eterno em meu coração.

Um ou dois dias depois sua Essência veio visitar-me de madrugada, ela se aproximou de mim e mais partes que precisavam de luz e amor foram ativadas. Um amor absurdamente grande emanava de sua Presença. Os tratamentos se aceleraram. Estas semanas foram intensas de atendimentos para mim e da mesma forma que ela me ajudou eu senti que em cada atendimento que eu fazia para outras pessoas íamos tratando também alguma partezinha dela, sem ao menos intencionar isso. Tudo aconteceu sem a menor interferência da minha cabeça, nossas Divindades assumiram o comando.

Nestas semanas agora que se passaram espontaneamente estes aspectos meus que ainda precisam de cura foram sendo trabalhados. Eu me apaixonei por meu aspecto feminino, entendi a importância de minhas emoções e de ampará-las permitindo sua liberdade e participação em minha vida. Assim compreendi e amei as mulheres! Ontem tive a integração do masculino e feminino interiormente, acredito que ela esteja bem equilibrada também. Estou em paz. Ainda tenho personalidade e desejos além de muita cura acontecendo, mas estou em paz. Meu segundo chakra não está mais solto por aí”.

A União Sagrada

Que universo maravilhoso Deus nos proporcionou e quão pequena é a parte dele que aproveitamos... Quanto mais observo mais admirado fico com as surpresas que encontro e com a sabedoria e generosidade em que fomos criados. Mas assim como nosso potencial infinito nos causa admiração, seu oposto proporcionalmente nos espanta: como foi que conseguimos nos limitar tanto?

Enquanto a experiência da separação vai chegando ao fim, o propósito de estarmos aqui vai sendo revelado: conhecer profundamente cada mecanismo do nosso mental, emocional e da matéria. Em um movimento de expansão do universo criamos o mental, o emocional e o físico também. Fomos criados puros e perfeitos, mas para entrar nesta realidade e experimentar todos os aspectos da Criação perdemos a consciência de quem somos. Através de uma visão limitada e da ilusão do tempo fomos por milhares de anos e encarnações redescobrindo-nos, vivendo cada personagem que o Espirito achou necessário para completar nossa jornada. Nossa tarefa se resume em trazer a Luz e o Amor com que fomos criados para esta experiência na matéria, manifestando a perfeição Divina até o ponto mais distante da Fonte Criadora dentro de nós mesmos. Para entrarmos neste reino, concordamos em vivenciar o desequilíbrio, a dor e o sofrimento, a cegueira espiritual, a ilusão da desconexão, do isolamento e a limitação. O processo de nos perder na escuridão foi essencial para podermos nos reencontrar na luz. 

Primeiramente passamos por um mundo dominado pelo feminino, sem condições de manifestar a perfeição. Agora vivenciamos o domínio do masculino, novamente sem condições de manifestar a perfeição. O medo sempre esteve presente em ambas as experiências. Na experiência feminina o medo guiou-nos pelo caminho do descontrole causando a escravização e inferiorização do masculino, reprimindo qualquer direcionamento ou racionalização com a raiva e o desespero. Na experiência masculina, guiou nosso aprendizado pelo caminho da separação, do controle e da formatação de um modelo de felicidade padronizado que nos é vendido e, quando não aceito, nos empurrado goela abaixo. 

Em ambas as experiências, o feminino é mais fortemente guiado pelo emocional. O emocional é flexível, sensível e sem limites. Age por impulso de acordo com o momento. Já o masculino é conduzido pelo mental. O mental é rígido, analisa dados, avalia probabilidades e, tendo o medo registrado tão profundamente escolhe o caminho mais seguro, com maior probabilidade de sucesso e menor risco de sofrimento. O feminino dominando o masculino é como um alagamento; o masculino dominando o feminino é como uma represa; o equilíbrio entre o feminino e o masculino é como um rio belo e poderoso que nos leva para o oceano, a Unidade, nosso estado original. 

É importante ressaltar que o masculino e o feminino são aspectos do Espírito, não importa o corpo que ele habita. Passamos pela experiência da mulher-emocional e do homem-mental pois a emoção relaciona-se melhor com a delicadeza, a maternidade e a mente relaciona-se melhor com a força física. Foi importante nestas experiências anteriores ora dominadas por um aspecto ora por outro que nosso corpo físico fosse também dual, acentuando assim as diferenças e a crença na separação. Porém homens e mulheres estão juntos nesta experiência, um espelhando aspectos ocultos no outro, o que seria impossível se ambos não tivessem os mesmos aspectos dentro de si. Ambos os sexos são essencial e individualmente equilibrados. Para o Espírito, não existe necessidade alguma de um completar o outro, o Espírito é uno, íntegro, perfeito.

Na medida em que vamos amadurecendo e retornando ao que verdadeiramente somos, vamos nos deparando com as feridas e antigas construções ilusórias que modelam nossa personalidade tanto no aspecto feminino quanto no masculino. No processo de cura e reintegração dos aspectos o emocional aflora para ser aceito em sua totalidade, apoiado e amparado pelo mental. Já o masculino é constantemente confrontado para dissolver antigos padrões de controle e limitação sendo, na medida em que restaura sua confiança e se entrega, amorosamente acolhido pelo feminino. Podemos associar as características do feminino com o emocional e as do masculino com o mental.

Tanto o homem quanto a mulher tem um papel fundamental no crescimento um do outro. Energeticamente, a mulher que aceitou completamente sua identidade e seu emocional puxa no homem a pureza de seu aspecto masculino original, assim como o homem que doutrinou seu mental para aceitar a liberdade e importância do feminino permite que a mulher se manifeste em toda sua magnificência. O Sagrado Feminino então retorna para todos que assim o permitem, a todos que transcenderam seus registros e programações baseadas no medo, controle e limitação. Com isso um mundo de amor se aproxima, sustentado pelo difícil amadurecimento dos homens e mulheres que ousaram olhar além de si mesmos.

Neste período de transição podemos estar passando por diversas curas e mal-estares principalmente nos três chakras inferiores, mas também sentindo fortemente as aberturas do cardíaco e transmutações de antigas crenças limitantes do frontal. O chakra básico relaciona-se com o corpo físico, a terceira dimensão. O chakra sexual com o corpo emocional. O chakra gástrico com o corpo mental. O emocional e o mental juntos são o astral, a quarta dimensão. Chamo os chakras sexual e gástrico de “o ministério das relações exteriores”, o sexual é o de importações e o gástrico o de exportações, o sexual é como percebemos o mundo e o gástrico como agimos no mundo. O chakra cardíaco, sede da consciência Crística e de nossa nova realidade engloba e acolhe os chakras e corpos inferiores, permitindo a ascensão da consciência ao estado de Ser da quinta dimensão. Todas as outras dimensões superiores podem ser acessadas pelo cardíaco. Os chakras superiores trabalham em parceria com os inferiores, assegurando nossa expressão e qualidades espirituais à nossa personalidade física e astral. 

A União Sagrada ocorre primeiro internamente, individualmente. Ao completar-se a integração entre masculino e feminino nossa consciência está livre para ascender permanentemente ao cardíaco, sem o risco de cairmos novamente na ilusão do personagem incompleto. Perceberemos e utilizaremos o mental e o emocional como sensores e ferramentas necessárias à vida na matéria. São os estágios densificadores e empoderadores da realidade Espiritual e Perfeita que manifestaremos na realidade física. A integração das polaridades e consequente iluminação por si só já é uma bênção e uma graça se alcançados em uma encarnação. Somente há poucos anos a iluminação em massa tornou-se possível em nosso planeta, devido a grande diferença vibratória nossos corpos físicos ainda não eram capazes de aguentar as frequências Crísticas.

A consciência ancorada no cardíaco nos revela a verdade de quem somos. O ser ascensionado adquiriu então a mestria sobre seu mental e emocional. É esta a liberdade que buscamos, o encontro com nosso verdadeiro Eu, o poder de estarmos ancorados em nossos próprios corações, de encontrarmos a felicidade dentro da gente mesmo e não mais vivermos para nos proteger de medos e suprir carências. 

Todo este processo de esquecimento, de entrada na experiência, de construção de uma personalidade e de retorno ao lar nos deu características únicas, pois cada um de nós fez este retorno por um caminho diferente, totalmente escolhido e experienciado por nós mesmos. Todos os desafios que passamos e aprendizados que tivemos nos garantiram um ponto de vista único da Criação. Por isso também nos últimos anos as mudanças de grupos, amizades e relacionamentos afetivos se aceleraram, pois vamos cada vez mais rápida e fortemente nos desprendendo de antigos padrões e nos sintonizando com aqueles que representam nossos ideais mais elevados a cada momento, permitindo que os relacionamentos sejam mais produtivos em espelhar nossa essência e também em apoiar-nos em nossas individualidades e caminhos.

Em um relacionamento afetivo superior é possível experienciar o Amor verdadeiro, muito além da carência e do querer. Até então o que ocorria nunca foi verdadeiramente Amor. Quando um casal se encontrava o mental sempre esteve no controle, avaliando se o outro tinha os requisitos certos para preencher seu emocional ferido e desfalcado. Energeticamente os laços iam se formando e aumentando a atração entre ambos, enquanto suas mentes elaboravam crenças e ilusões a respeito de como ou outro era perfeito e tinha características especiais que iriam preenchê-la e satisfazê-la, como o outro se encaixa perfeitamente em tudo o que a pessoa acredita e quer para a sua vida. Assim é o relacionamento polarizado no mental.

Já em um relacionamento maduro o Amor prevalece entre ambas as partes, pois este Amor não é um querer disfarçado, é um estado de espirito. O homem que Ama é capaz de enxergar a beleza da Deusa em todas as mulheres, honrando suas emoções e permitindo que elas sejam elas mesmas, dando o amparo e criando o ambiente necessário para que se expressem em segurança e desfrutem de sua liberdade. É o macho sem machismos, sem a necessidade dos antigos símbolos que anteriormente transmitiam segurança para a mulher ou superioridade para a concorrência. Neste estágio não há mais competição, pois já aceitaram que cada ser é único e especial. O casal unido vibratoriamente por mecanismos superiores é a perfeita culminância dos sincronismos de toda uma existência, suas partes não estão disponíveis para o galã e para a sedutora que escondem suas carências e fragilidades atrás de aparências meticulosamente construídas. Já curaram-se dos medos, das carências e também das raivas necessárias ao período de libertação. A força de cada um agora está em sua capacidade de Amar e no cuidado com seu próprio estado vibracional. A mulher que Ama manifesta em si o riso puro e alegre de uma criança, a sabedoria e autoridade de uma sacerdotisa, a força de um vulcão em erupção e a sensualidade de uma mulher no dia mais fértil de sua vida, aproveitando livremente cada momento como o universo o traz em paz e harmonia, sem o risco de perder-se. As antigas fugas e mecanismos de sobrevivência de seu ego não são mais necessários e os traumas que fizeram-na se esconder anteriormente não mais a preocupam, ela reconhece a importância do ambiente energético sustentado pelo masculino onde ela se manifesta em toda sua beleza e esplendor. Tudo isso sem interferir na pseudo-naturalidade da sociedade ainda não ascencionada em que se encontram. Muito pelo contrário, a energia que este encontro emana é capaz de banhar de amor e elevar o nível de consciência a quilômetros de distância.

Para o encontro acontecer, ambos são completos, íntegros e não dependem mais de abastecimento na energia do outro. Neste momento sagrado ocorre uma polarização momentânea, uma exaltação do aspecto prevalecente em cada um. O mental não mais interfere neste encontro, servindo apenas como sustentação. O emocional é o órgão sensorial que nos anima, gerando a energia necessária para a elevação da consciência de ambos ao êxtase da união Divina. Assim reconhecemos o ponto mais alto de nossa essência antes da separação. O Amor com “A” maiúsculo não seria possível sem o equilíbrio e libertação individual de ambos e a busca constante por aprimoramento de si mesmos. As antigas características de honestidade, cumplicidade e visão de vida continuam valendo e são essenciais para o afinamento vibratório e permanência da relação.

Sustentar um encontro neste nível só acontece quando ambos estão preparados para este tipo de elevação de consciência ou quando já iluminaram-se. No caso das partes ainda não terem se iluminado, um simples vislumbre desta união irá causar um alinhamento das polaridades individuais de cada um e trazer a tona aspectos de cada um que precisam ser vistos, amados e integrados. Vamos então degrau a degrau equilibrando e integrando o que ainda está em desalinhamento e equilibrando as polaridades internamente, até que um novo encontro proporcione um novo impulso de alinhamento e ascensão. Casais formados na antiga energia podem sim percorrer esta trajetória de ascensão juntos até seu ponto mais alto, mas esta é uma escolha feita anteriormente por nosso Espírito, que definiu os caminhos que percorreríamos. 

O encontro entre o masculino e o feminino sagrados está acima de nossa personalidade, das nossas histórias e acima de qualquer linguagem, seja verbal ou telepática. Esta pessoa que nos reflete nossa Divindade não apareceu em nossas vidas para nos completar, está acima de nossas vontades egóicas e da nossa capacidade de controle, não participam necessariamente de nosso ideal romântico de realização. Deus escolhe estes encontros, a pessoa, a data e a hora, não sabemos nem quando ou se haverá um próximo.

A luz do branco-azul-prateado que nossa Divindade irradia, as sensações da integração dos aspectos individuais e a humildade perante o indescritível encontro com nossa outra parte são experiências Divinas e sagradas de quem recebe esta bênção, apenas a tentativa de descrever isto já quase reduz a grandiosidade e raridade deste acontecimento a algo trivial e mundano. Isto é o maior acontecimento que temos o merecimento de vivenciar em vida (por enquanto), está acima da iluminação. A pessoa que Deus escolheu para esta jornada conosco deve ser vista com aceitação incondicional, pureza e reverência. O ego é posto de lado nestes momentos e a generosidade do Criador é vivenciada com humildade, entrega e gratidão.